El proletariado internacional necesita traductores

Compartir
El proletariado internacional necesita traductores 1

Compartimos el mensaje de los camaradas del Partido Comunista de Italia del pasado 19 de marzo, en el cual expresan la situación por la que están atravesando, pero con el espíritu bolchevique que caracteriza a los comunistas, están afrontando esta crisis que al final beneficiará a los pueblos del mundo.

Los camaradas manifiestan tener dificultades para hacer la traducción de sus documentos a otros idiomas, la misma dificultad que tenemos los comunistas en Colombia y en otros países, en ese sentido hacemos un llamado a nuestros seguidores para apoyar esta labor; es muy importante que el mundo conozca la situación que se vive en los distintos países y las orientaciones de los comunistas pues sirven de enseñanza y aprendizaje común para el proletariado y los pueblos del mundo.

Atendiendo a ese llamado una amiga del portal muy amablemente ha hecho la traducción al portugués de uno de los reportes que han enviado los camaradas de Italia, el cual publicamos.

Hoy más que nunca se requiere de todo el apoyo que podamos brindar a los comunistas en el mundo, pues el imperialismo requiere ser enterrado, la pandemia ha puesto en evidencia la necesidad de la Revolución Proletaria Mundial para preservar humanidad.

Informe de la situación – Las acciones del PCmI, de las organizaciones generadas y la lucha de masas en fábricas y ciudades se puede seguir en el blog “proletaricomunisti”

Italia- Emergencia por el Coronavirus

Es Italia, hoy uno de los más grandes centros de Coronavirus en Europa y el mundo por varias semanas, lo que ha significado para nosotros un cambio radical en el trabajo de nuestro Partido y sus organizaciones de masas.

Podemos asegurar que estamos dando el máximo por el trabajo político y social en todas las condiciones, para servir al pueblo y construir el Partido y las organizaciones populares.

Estamos preparando un informe tan pronto como sea posible sobre nuestro trabajo, tenemos algunas dificultades para la traducción.

Por ahora podemos contarles que militantes y activistas de nuestra organización han perdido muchos parientes ancianos en Bérgamo, al norte de Milán particularmente, pero de nuestra organización ninguna vida corre peligro, algunos se encuentran en cuarentena.

Saludos comunistas marxistas-leninistas-maoistas

Partido Comunista Maoista – PCm Itallia

19/3/2020



Italia – A REAL » EXPANSÃO DO VIRUS»

Alguns notas da dramática realidade de Bérgamo

O outro lado do drama

As mensgens insistentes, desesperadas e objetivamente “terroristas” da televisão, da prensa, fazem a funcão de espalhar entre as pessoas um húmus reacionário e a sensasão de que algo «cheira mal»: seja “um bom italiano”, com uma bandeira com os treis cores na janela, isso significa fazer a reclamação, e “perseguir” as pessoas que ficam na rua.

Em Bérgamo, no ultimo ano principalmente, tem acontecendo um fenómeno, a creação de os chamados “grupos de vizinhaça”, é uma especie de grupos que fazem control do territorio, dos atracos nas casas, mais em geral da segunrança e a reação. Agora estão em risco de servir objetivamente como base para> uma ação eficaz e multiplicador, como apoio aos chamamentos do governo e também os que não são propiamente do governo, que podem vir de muitos setores, a “ficar na casa”, para culpar a aqueles que não se adeptam y jogar neles a responsabilidade de tudo, daqueles que estão distruindo as assistências sanitárias e também dos chefes que fazem trabalhar seus empregados e não se importam das condicões. Na emergencia do coronavirus actualmente a pobalacão está fazendo desde suas casas fotos de pessoas que ficam na rua para enviar para os bombeiros, a policía ou subir nas redes sociais.

Para os idosos, “ficar na casa” só pode significar esperar para morir. A maioria dos idosos morrem porque permanetemente ficam sozinhos na casa e nenhum médico vai para fazer uma verificação de sua saúde. Mas cada día mais pessoas percebe que na realidade está abandonado. Nos hospitais tem que fazer uma seleção entre um joven e um idoso, é asim que colocam dam preferençã para o pessoal joven para ter o dispositivo de oxigêno.

Nos hospitais teriam que equipar muitas mais áreas, fazer que muitos voluntarios sejam comprometidos e preparados para estar nesta açao, isso significaría chamar ao povo para participar, mais a percepção é que não querem que isso suceda. As massas é considerado um “problema” maís, um obstáculo, não é considerado como um verdadeiro recurso sim ele se moviliza y se organiza.

Para as massas também são as últimas medidas, pode ser visto na nova autocertificação e las sançôes/funçôes, que são encaminadas cada vez mais só para aumentar os controles repressivos, (com pretençôes de respostas absurdas: ¿cómo pode uma pessoa declarar que “não foi positivo no test de virus COVID-19”, quando não tem realizado a prova?) e para aumentar as denuncias, as sanções e ate o prisão. Ahora está planificado também o “procesamento e a comunicação dos dados da natureza sanitária”; de fato, uma oportunidade para que as forças de orden tenham uma mega “base de dados”, que vai poder ser utilizada incluso depois da emergencia para ter control a milhões de pessoas.

Os trabalhadores são enviados para sua casa só se eles estão nos setores “não essenciais”, mais ¿qué fazem na casa?, ou podem chegar a ser considerados como pessoas que são para medidas de assistência (medidas geralmente mínimas ou insuficientes), e se eles reclamam a real seguridade, se eles protestam, ou fazem greve são um obstáculo para os chefes e devem ser reprimidos e até remitidos.

É asim que o povo e os trabalhadores são considerados um “problema”, pessoas pasivas y não protagonistas.

No tempo pasado, nas provincias com maior presença de fábricas, os trabalhadores sempre se fazem ouvir, sempre foram ativos nas soluçãoes. Hoje, poderíam ficar igual de ativos. Mas a empresa e os sindicatos confederados, que tentam conciliar/subordinar a proteção de a saúde dos trabalhadores com a continuação do beneficio desde a mesma empresa e o mesmo chefe, não aceitan na realidade porque eles saben de onde vem as ideias dos trabalhadores que são ativos pero ñao saben aonde querem chegar…

Mas para os trabalhadores, as massas mais consciente não existe “solución”, nem nesta emergência de “coronavirus”, que seu protagonismo, seu verdadeiro conhecimiento, su crítica ativa é para a real causa desta pandemia: o sistema capitalista que na sua fase superior, destrutiva e podre, imperialista, só pode producir velhas e novas doenças, devastações sempre “sem solução”, por causa dos estados y governos. Não existe outra solução que a luta, necessâria também dirigida para as grandes massas para afirmar/imponer outra visão e outra acção.

MC Proletario Comunista/PCm Italia

18/3/2020

También te podría gustar...